“Segurança de Medicamentos: Medicação sem dano: saber, Verificar, Perguntar

Estudos amplamente divulgados, comprovam que a utilização de medicamentos é a intervenção em saúde mais amplamente utilizada, e os danos relacionados a medicamentos constituem a maior proporção do total de danos evitáveis devido a cuidados inseguros, sem falar no ônus econômico e psicológico imposto por tais danos. Reconhecendo esse fardo substancial e reconhecendo a complexidade da prevenção e redução de danos relacionados a medicamentos, “Segurança de Medicamentos” foi selecionado como tema para o Dia Mundial da Segurança do Doente 2022; o mote é “medicação sem dano” e a ação é “saber, verificar, perguntar”.

Esta campanha está programada para fornecer mais um impulso na consolidação do atual “Desafio Global de Segurança do Paciente da OMS: Medicação Sem Dano”, com especial atenção às áreas onde ocorre a maioria dos danos: transições de cuidados e polimedicação. Assim, os objetivos traçados são:

1. Aumentar a conscientização global sobre a alta carga de danos relacionados a medicamentos devido a erros de medicação e práticas inseguras e defender ações urgentes para melhorar a segurança da medicação;

2. Envolver as principais partes interessadas e parceiros nos esforços para prevenir erros de medicação e reduzir os danos relacionados com a medicação;

1. Capacitar os doentes e familiares para que estejam ativamente envolvidos no uso seguro de medicamentos;

2. Aumentar a implementação do Desafio Global de Segurança do Paciente da OMS: Medicação sem danos.

Na sequência desta campanha, o profissional de saúde deve:

  • Manter atualizados os procedimentos relativos a práticas seguras de medicação;
  • Envolver o doente na tomada de decisão, com recurso aos “5 Momentos para Segurança de Medicamentos” e implementar ações relacionadas ao “Saber. Verificar. Perguntar.”;
  • Fornecer informações claras e completas relacionadas com a medicação a todos os membros da equipe clínica durante o processo de atendimento;
  • Notificar incidentes de segurança de medicamentos (NOTIFIC@) e discutir o caso com a equipa e utente, se possível;
  • Estar atento a situações em que o risco de medicamentos é alto e garanta que as medidas de segurança sejam seguidas;
  • Informar os novos membros da equipe sobre sistemas e práticas de medicação segura.

Para uma maior segurança, na sequencia da campanha e como parte integrante das legis artis, deve informar os doentes, familiares e publico em geral sobre:

  • Quando iniciar a toma de um medicamento, deve verificar com os seus profissionais de saúde se tem as informações necessárias para tomá-lo com segurança;
  • Manter uma lista atualizada de todos os medicamentos que toma, incluindo medicamentos tradicionais, e partilha-la com os seus profissionais de saúde.
  • Tomar os medicamentos conforme recomendado pelos seus profissionais de saúde
  • Usar a ferramenta “5 Momentos para Segurança de Medicamentos”;
  • Estar ciente dos possíveis efeitos colaterais de seus medicamentos;
  • Armazenar os medicamentos conforme indicado e verificar a data de validade regularmente;
  • Levantar quaisquer preocupações sobre sua medicação com os seus profissionais de saúde.

PARA REFLETIR
Com o passar do tempo, o uso da medicação tornou se cada vez mais complexo. Houve um aumento substancial no número e variedade de medicamentos disponíveis. Só no ano de 2014 a EMA aprovou 41 novos medicamentos, tendo vindo a aumentar gradualmente. A acrescentar a este facto, cada medicamento pode ter diferentes formas de atuação (ex. ação lenta, ação rápida) e de administração. Mais ainda, para cada formulação podem existir vários nomes comerciais ou diversos de genéricos, com diferentes apresentações. Todos estes fatores são fontes potenciais de confusão para o doente e profissionais de saúde.

A esperança média de vida na população aumentou e em parte deve se à melhoria dos tratamentos para as doenças crónicas, contribuindo também deste modo para existirem cada vez mais doentes com múltiplas co-morbilidades que necessitam de diferentes tipos de medicação aumentando o risco de interações entre os fármacos, efeitos secundários e erros de administração.

O sistema de utilização dos medicamentos é uma combinação de processos interdependentes centrados no doente que partilham o objetivo comum de se obter uma terapêutica e medicamentosa segura, efetiva, apropriada e eficiente . Este processo envolve: a seleção e aquisição, a prescrição, a transcrição/validação, a preparação/dispensa, a administração e a monitorização da medicação. A segurança deste sistema é uma propriedade de todos os componentes, processos e profissionais que intervêm e interagem nele. Por consequência melhorar só um componente ou prevenir uma falha não conduz a melhorias integrais do sistema.

Da Segurança do Doente até à Segurança no Uso do Medicamento. Graça Rigueiro.

Dissertação de Mestrado em Ciências Farmacêuticas Universidade de Coimbra 2015.

Para mais informações:

https://www.who.int/campaigns/world-patient-safety-day/2022

https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/311157/WHO-HIS-SDS-2019.3-por.pdf

Alice Magalhães

Especialista em Enfermagem Comunitária

Comissão de Qualidade e Segurança

ACeS Cávado II – Gerês/Cabreira