Reuniões no âmbito dos Cuidados de Saúde Primários: perda de tempo ou ferramentas produtivas?